Pais sem Pressas

Os mais atentos já devem ter reparado que sempre que coloco alguma foto do Lucas utilizo os hashtags #parentalidadepositiva #apego #slowparentig.

Já falamos aqui no blog sobre parentalidade positiva e apego, mas o que é isto do Slow Parenting (ou pais sem pressas)? O movimento “Slow Parenting” tem como base 10 princípios:

  • 1- Menos Gadgets e mais tempo em família. A família deve desligar todo o tipo de tecnologia durante 1h no mínimo.
  •  2- Amizades: as crianças precisam relacionar-se com outras crianças.
  • 3- Saber observar e escutar.
  •  4– Ensinar dando o exemplo.
  • 5- Brincar e brincar muito. Criar tempo e espaço para a brincadeira (com amigos, família ou sozinhos) a criança precisa e deve brincar.
  •  6- Sem compromissos. Crianças até aos 4 anos não necessitam de grandes horários e programações. Devem fazer o que gostam e aprender espontaneamente.
  • 7- Estabelecer limites.  As nossas crianças precisam de limites e regras para se sentirem seguros e para poderem ser seres responsáveis e amáveis.
  • 8- Tempos vazios. A criatividade muitas vezes nasce do tédio.
  • 9- Praticar o mindfulness. Estar completamente presente, focado e consciênte na tarefa que estamos a realizar. É também importante criar momentos e espaços silenciosos durante o dia e encontrar espaço para esvaziar a mente (meditar).
  • 10- Respeitar o ritmo e individualidade da criança. Não apressar o desenvolvimento dos seus filhos, nem o comparar com outras crianças, cada um tem o seu ritmo de desenvolvimento.

A primeira vez que li sobre slow parenting foi através da querida Lais Costa, da página do Instagram @eu.slow e hoje trago-a aqui para o blog para nos contar como começou a sua caminhada Slow.

1 – S. Quando começou a tua caminhada por uma vida mais Slow?
Lais: Acho que sempre estive inclinada para esse estilo de vida. Durante a faculdade me deparei com o Slow Fashion pois era a forma que me parecia mais familiar de fazer moda. Apesar do meu interesse a vida era apressada demais para por toda informação em pratica, até que um dia um problema de saúde me obrigou a estar em modo STOP por um ano. Foram esses dias de angustia que me fizeram repensar. Senti que só me conectando comigo mesma poderia resolver o caos que nenhum remédio era capaz de curar. Abrandar me foi imposto pelo meu próprio corpo, era hora de por em prática tudo aquilo que fazia tanto sentido pra mim.

2- S. Enquanto mãe sei que praticas o slow parenting, ou pais sem pressa
em Português, com o bebé Silas. Explica-nos em que consiste o movimento.
Lais: Ser pais sem pressa é sobre como o nosso estado alterado de ansiedade e stress somados a pressão de dar aos filhos as condições perfeitas para um futuro brilhante (do ponto de vista da sociedade atual) afeta toda a dinâmica familiar e nossas emoções gerando uma infinidade de problemas e desconfortos físicos e sentimentais (medo, doenças, maus hábitos, frustrações, raiva, tristeza, depressão…) que hoje em dia já são considerados comuns tanto nos adultos quanto nas crianças.
O que mais me toca no movimento é a possibilidade de harmonizar o nosso lar, afinal não estamos falando de perfeição ou mascarar sentimentos.
As crianças precisam se esforçar e lutar para conquistar mas não como se estivessem numa corrida sem fim. Nós sabemos mais, pq já vivemos mais e da
mesma forma devemos permitir que as coisas aconteçam de forma que nossos filhos descubram quem são ao invés de força-los a ser o que idealizamos.
Melhor do que dar tudo aos filhos é sem duvida ensinar-lhes como aproveitar ao máximo o que eles têm. Nesse sentido slow parenting não é um projeto com regras e maneiras de se aplicar; é uma jornada. É viver o dia a dia
com consciência, amando muito os nossos filhos, dando-lhes atenção sem
culpa.

3- S. Como aplicas essa filosofia de vida no vosso dia-a- dia?
Lais: Diminuindo as expectativa sobre cada dia. Entendo que tudo se resume a estar consciente/presente em cada atividade do meu dia com o principal objetivo de me manter em harmonia comigo mesma para que a vida flua naturalmente. Consequentemente tudo ao meu redor vai assumindo a velocidade certa. Parece simples mas não é tarefa fácil nos dias atuais, pois estamos constantemente sofrendo a pressão do ritmo acelerado imposto pela sociedade.

4- S. Menos é mais? (Menos estímulos, atividades, compromissos,
competição…)
Lais: Sim e não! Podemos deixar essa resposta assim? rssss

5- S. O Baby Silas é um bebé Slow?
Lais: Todos são! Os bebes recém-nascidos estão completamente ligados a sua
essência e sentidos… Puros e permeáveis. Exatamente por isso são capazes
de captar nosso estado de stress e ansiedade alterando o seu temperamento.
Um exemplo é que muitas vezes ouvimos o comentário de que o Silas é muito
calmo, como os pais. E isso não o impede de fazer travessuras, ter suas
vontades e ser alegre como uma criança deve ser.

6- S. É impossível falar em vida Slow sem falar em slow fashion,
minimalismo, sustentabilidade… Concordas?
Lais: Sim! Desacelerar é sobre nós, logo pode ser aplicado a tudo o que fazemos sobretudo na criação de filhos. Ninguém está sozinho, fazemos parte de um grande circulo onde um depende do outro por isso quando abrandamos o nosso ritmo e começamos a tomar consciência de nós mesmos percebemos a importância e impacto de nossas atitudes na vida do outro e no mundo.

7- Sei que o enxoval do baby Silas foi um enxoval minimalista. Ainda tens a
listinha do enxoval?
Lais: Tenho! Mas não posso deixar de dizer que para o enxoval minimalista funcionar na vida real é fundamental que ele seja pensado de forma personalizada para cada família. Nosso desafio foi ainda maior pois queríamos
que nosso enxoval tivesse o menor impacto possível no meio ambiente e na
saúde do nosso bebê.
Como recebo muitos pedidos para divulgar nossa lista, e sei que talvez não
seja o ideal, estou preparando um material para disponibilizar aos pais
interessados em montar um enxoval eco-minimalista como o nosso. Quem
estiver interessado pode me enviar um email (nclais@hotmail.com) e em breve
receber esse material e outros relacionados ao slow parenting e cuidados
naturais. Podem também acompanhar o intagram @eu.slow onde compartilho
nossas escolhas para uma vida mais Slow.

Muito obrigada pela partilha Lais,

um beijo,

Sónia.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *